;

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Congratulações honrosas II

Ser o campeão de um torneio é muito bom... Mas para a torcida não é tudo. O título pode ser substituído pela garra, pela força de vontade, pelo querer ganhar. É isso que faz a torcida feliz: o sonho de jogar bem e com isso títulos são apenas adereços.
Até pouco, dois meses atrás, o Fluminense tinha 98% de chance de cair. Sabe-se lá o que quer dizer a matemática assim relacionada ao futebol, já que esse tipo de cálculo só vale até a próxima partida. Mas a pressão imposta por esta sentença foi muito grande, duas chance em cem.
Cuca após sair de um Flamengo surrado parecia ter aceito a proposta de cair no abismo junto com outro carioca. Decidido a não morrer para o futebol o técnico decidiu ignorar quem não estava nem ligando para o time. O pior é que só sobraram garotos... PIOR???
Faltando sete rodadas para o fim do campeonato brasileiro, líder isolado do rebaixamento, decidem em conjunto traçar uma meta: Salvar a pátria tricolor carioca.
A torcida não esperava mais nada, exceto o rebaixamento. O terceiro pior ataque do campeonato, sétimo time que mais errou passes, terceiro pior em finalizações, quarto que mais levou gols... só top.
No entanto surge Rafael, ou melhor anjo Rafael com suas asas aladas no gol; Mariano e Dieguinho apóiam e defendem pelas laterais como se defendessem seus filhos; a zaga é heroicamente protagonizada pelo artilheiro Gum; e Fred, o atleta internacional sem jogo no começo do ano, ressurge de uma contusão e diz “põe a bola no meu pé que eu resolvo” e Conca de uma criatividade insaciável topa o desafio.
Sem nada a perder a torcida decide aderir a ‘parada’: Maracanã lotado, incentivos incessantes desde músicas e gritos. O Flu foi mais feliz que os 19 do brasileirão. Tudo começou na 29º rodada contra o Santo André, depois Inter, Goiás, Atlético Mineiro, Cruzeiro, Palmeiras, Atlético Paranaense, Sport, Vitória e Coritiba; destes dez confrontos apenas três empates e o resto vitórias.
Ao mesmo tempo o time passa de fases na Sul-Americana, bem disfarçado. No primeiro confronto pela final do torneio continental contra a LDU sofre um massacre inacreditável: LDU 5 x 1 Fluminense.
Esperando uma má recepção ao voltar para o Brasil são recepcionados como os campeões. Mas oito dias veio a recompensa: goleou a LDU por 3 a 0. Não venceu o torneio mas a torcida gostou da força de vontade.
Não sou fluminense, mas torci para o Fluminense esse segundo semestre, poucas vezes senti algo igual: a mistura de arrepio, emoção, êxtase. Será esse time um alucinógeno???
Sei lá, mas jogaram muita bola esse ano... Não podia mesmo cair!!!! Este ano o Flu é o campeão, mas sem título!!!!

3 comentários:

Mano Castanho disse...

Obrigado pela visita em meu blog, vim ler o post sugerido e gostei. O Fluminense tem méritos, porque tirou forças não se sabe de onde para fazer o que todos achavam impossível. Eu mesmo critiquei muito o time ao longo do ano.

Grande abraço!

Mano Castanho disse...

Boa noite, obrigado pelo convite que fez em meu blog. Vim ler o post sugerido. Vale destacar que, entre as rodadas 31 e 34, o Fluminense bateu em sequência três times do Top5. Impressionante! Desacreditado, o time tirou forças sabe-se lá de onde para fazer o que fez. Apesar de muitas bobagens feitas pela diretoria ao longo do ano, e que se refletiram dentro de campo, Cuca soube unir o grupo na hora decisiva, contou com a "ajuda" da Copa Sul-Americana para que a equipe ganhasse confiança e fez o milagre.

O Fluminense está de parabéns pela arrancada, mas não pelo campeonato - foram pouquíssimas vitórias antes das 10 rodadas finais e por algum motivo eles andaram na lanterna. Que sirva de alerta para o próximo ano.

SL disse...

O time de guerreiros é apaixonante. Cativou torcedores de vários clubes. Vivi muitas emoções com o Flu no fim do ano. A recepção no aeroporto foi uma delas.

Obrigada pela visita ao meu blog.

Abraços,
Natália