;

terça-feira, 23 de junho de 2009

Os mais ricos do Brasil - Versão: Crise Econômica/09

Em tempos de crise até os mais ricos do mundo lutam para evitar grandes perdas, porém, uma crise não escolhe um ou outro e vem atacando em geral. Quem fica feliz com a crise são poucos, geralmente os com negócios sólidos, e provavelmente um destes é Bill Gates que recuperou o status de homem mais rico do mundo após anos vendo Carlos Slim e, depois, Warren Buffet ficarem com o posto.
E não foi apenas com os gigantes de bolso que a crise mexeu não. Dos doze brasileiros listados entre as 1200 pessoas mais ricas do mundo apenas quatro conseguiram aumentar seus ativos e todos os outros oito tiveram perdas imensas. Entre estes quatro estão Jorge Paulo Lemann, Marcel Herman Telles e Dorothéa Steinbruch.
O que mais chama a atenção é que os três primeiros são sócios da Ambev que lucraram imensamente com a compra da Interbrew formando a Inbev, uma das maiores empresas de cerveja do mundo. Já a única mulher da lista e quarta da lista a aumentar seus ativos é dona-sócia da maior empresa de aço do Brasil e a pouco a empresária se tornou sócia majoritária através de uma negociação com lucro de mais de 300 milhões.
Para fins de conhecimento pesquisamos a vida de cada um e de forma concisa apresentamos a forma como cada um conseguiu chegar ao topo do Brasil e marcar presença na lista dos mais ricos do mundo segundo a revista Forbes:
1. Eike Batista
Ranking Geral/Forbes: 61
Fortuna: US$ 7.5 Bilhões
Empresário que atua em várias áreas, com destaque para o setores de mineração e petróleo. É conhecido por sua ousadia nos negócios, a ponto de ser taxado às vezes de aventureiro. Tornou-se uma celebridade para o público em geral ao conquistar a maior fortuna do país.
Curiosidade: Tem sido alvo de investigação de uma operação da Polícia Federal, a qual recebeu ironicamente o nome "Toque de Midas", alusão ao Rei da Mitologia Grega que transformava em ouro tudo aquilo que tocava. Alguns especialistas dos setores petrolífero e minerador desconfiavam do rápido e vertiginoso enriquecimento de Eike, levando em conta o fácil êxito de seus negócios em setores demasiado competitivos.
2. Joseph Safra (foto: Joseph, à esq, e Moise Safra, à dir.)
Ranking Geral/Forbes: 62
Fortuna: US$ 7.0 Bilhões
Juntamente com seu irmão, Moise Safra, controlam o sexto maior banco privado do País, o Safra. Joseph vem acelerando os negócios internacionais da família, muito além das fronteiras americanas. Estão no ramo das telecomunicações. Em Israel apostaram com sucesso na empresa de telefonia celular Cellcom. Por meio da BellSouth, no Brasil investiram na BCP (que foi vendida para a Claro) e no México na America Movil. Eles ainda mantém a participação na empresa Aracruz Cellulose.
Curiosidade: Joseph Safra é Judeu devotado e faz doações regulares para diversas instituições, inclusive o Hospital Israelita Albert Einstein.
3. Jorge Paulo Lemann
Ranking Geral/Forbes: 92
Fortuna: US$ 5.3 Bilhões
Fundador do Banco Garantia e um dos donos da AmBev, Lemann está entre os banqueiros de investimentos mais badalados e imitados do País. Foi sua idéia a criação do GP Investimentos, o primeiro e o maior fundo de private equity do Brasil. Sua especialidade é comprar pedaços de empresas (como Telemar, Ferrovia Centro-Atlântica e Gafisa), dar um impulso na companhia e revender as ações com lucro.
Curiosidade: Filho de suíços, Lemann foi tenista na mocidade, tendo representado a Suíça na Copa Davis de 1962. Foi pentacampeão brasileiro de tênis.
4. Aloysio de Andrade Faria
Ranking Geral/Forbes: 196
Fortuna: US$ 3.1 Bilhões
O banqueiro exibe o vigor de um jovem. Em 1998, vendeu o Banco Real aos holandeses do ABN Amro por US$ 3 bilhões, para fundar um outro, o Alfa. Também é acionista majoritário de um grupo que inclui os hotéis e as rádios Transamérica, as lojas Casa & Construção, a rede de sorveteria La Basque e diversas fazendas.
Curiosidade: Formou-se em Medicina, mas pouco exerceu a profissão. Tornou-se banqueiro com a morte do pai e levou o antigo Banco da Lavoura, um banco de médio porte do estado de Minas Gerais, a tornar-se o Banco Real, um dos maiores bancos do Brasil.
5. Dorothéa Steinbruch (foto: filho de Dorothéa)
Ranking Geral/Forbes:205
Fortuna: US$ 3.0 Bilhões
Viúva, mãe de três filhos é dona da maior empresa de aço do Brasil, Companhia Siderurgica Nacional (CSN). As famílias Steinbruch e Rabonovitch, através da Vicunha Textile, pagaram 800 milhões em 1993 para controlar a CSN. Recentemente a família Steinbruch comprou a parte dos Rabinovitch, hoje avaliados em mais de 900 milhões por 588 milhões.
Curiosidade: Não trabalha na administração da empresa, deixando essa tarefa para seu filho Benjamin. Dorothéa é a única mulher do brasil que aparece entre os mais ricos no brasil.
6. Antonio Ermirio de Moraes
Ranking Geral/Forbes: 224
Fortuna: US$ 2.8 Bilhões
O empresário Antônio Ermírio de Moraes dispensa apresentações. Dono de um dos maiores grupos empresariais do País – o Grupo Votorantim. Formado em engenharia metalúrgica na Universidade do Colorado, nos EUA, em 1945. Na volta dos EUA, foi trabalhar na CBA (Companhia Brasileira de Alumínio), em 1949. Hoje, preside a empresa, que é a segunda maior produtora de alumínio do País.
Curiosidade: Aventurou-se na política, lançou-se à candidatura ao governo do Estado de São Paulo em 1986, ficando em segundo lugar. Pela intensa atividade social e pela trajetória empresarial ascendente, o empresário é um dos ícones e referência mundial da classe empresarial. É autor de três peças de teatro, duas já lançadas: Brasil S.A., Acorda Brasil e S.O.S Brasil.
7. Marcel Herman Telles
Ranking Geral/Forbes: 285
Fortuna: US$ 2.4 Bilhões
Em parceiria com outros brasileiros bilionários, Telles investiu e ajudou a tornar a AmBev a terceira maior empresa de cerveja do mundo antes de se juntar a Interbrew em 2004 formando a InBev. Telles comanda a InBev que está se expandindo e desenvolvendo em países como a China.
8. Moise Safra (foto: Joseph, à esq, e Moise Safra, à dir.)
Ranking Geral/Forbes: 318
Fortuna: US$ 2.1 Bilhões
Juntamente com seu irmão, Joseph Safra, controlam o sexto maior banco privado do País, o Safra.
Curiosidade: Graças a seu irmão, Joseph, os negócios da família vem acelerando, principalmente os internacionais, e muito além das fronteiras americanas. Estão no ramo das telecomunicações.
9. Carlos Alberto Sicupira
Ranking Geral/Forbes: 318
Fortuna: US$ 2.1 Bilhões
Participante do trio de investidores e banqueiros que criaram a AmBev, uma das maiores empresas de cerveja do mundo. Sicupira tem grande participação nas Lojas Americanas.
Curiosidade: Ele se diverte praticando caça submarina, que inclusive possui diversos recordes mundiais.
10. Abilio dos Santos Diniz
Ranking Geral/Forbes: 468
Fortuna: US$ 1.5 Bilhão
Assumiu o controle da Companhia Brasileira de Distribuição (Grupo Pão de Açúcar) em 1991, quando a empresa estava à beira da bancarrota, com faturamento anual de R$ 1,7 bilhão e prejuízo de R$ 110 milhões. Diniz comandou a volta por cima, reconquistando a liderança do mercado que tivera na década de 1980. Também detém o controle acionário do Grupo Sendas, a maior rede de supermercados do Rio de Janeiro.
Curiosidade: Provavelmente próximo ranking deve subir um pouco mais, afinal, o Grupo Pão de Açúcar fechou a compra da rede Ponto Frio em 7 de junho de 2009 e tornou-se líder no varejo brasileiro, com cerca de R$ 26 bilhões de faturamento. A participação dos controladores do Ponto Frio foi adquirida por R$ 824,5 milhões.
11. Guilherme Peirao Leal
Ranking Geral/Forbes: 601
Fortuna: US$ 1.2 Bilhão
É Presidente Executivo, um dos fundadores, e membro do Conselho de Administração da Natura Cosméticos, empresa brasileira com mais de 3 mil funcionários, faturamento anual superior a R$ 2 bilhões, operando no Brasil, Bolívia, Chile, Argentina e Peru.
12. Julio Bozano
Ranking Geral/Forbes: 647
Fortuna: US$ 1.1 Bilhão
Começou com uma pequena distribuidora de valores, nos anos 1960, em sociedade com o ex-ministro Mário Henrique Simonsen. Com a venda do Banco Bozano, em 2000, para o Santander, afastou-se da linha de frente dos negócios no Brasil. É um dos principais sócios privados da Embraer.
Curiosidade: nos últimos anos, tudo o que o executivo tem feito é vender, vender e vender, transformando patrimônio em dinheiro e organizando a herança enquanto ele faz o que mais gosta: colecionar arte e cuidar de seus cavalos em seu bélissimo haras em Bagé e aproveitar a vida ao lado da família. Bozano é um grande entusiasta do turfe nacional sendo o proprietário do maior haras de criação de cavalos de corrida do Brasil, o Haras Santa Maria de Araras.

Um comentário:

Anônimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net