;

quarta-feira, 10 de março de 2010

O Todo - Poderoso e os desastres climáticos

Milhões de crentes na existência de Deus se perguntam como é possível que um Deus amoroso e providente possa permitir que sucedam desgraças na vida dos seres humanos sem intervir e nem ajudar.
Há 2300 anos, um filósofo grego chamado Epicuro passeava pelas ruas de Atenas criando nos povos e igrejas um terrível dilema, que até hoje deixa muitos na dúvida. O filósofo questionava: “Frente ao mal que há no mundo existem duas respostas: ou Deus não pode evitá-lo, ou não quer evitá-lo. Se não pode, então não é onipotente. E se não quer, então ele é um malvado”. Qualquer das duas respostas deixavam todos acuados.
Hoje, frente aos terremotos do Haiti e Chile, o dilema de Epicuro segue ressoando como uma bofetada no coração dos crentes, que continuam perguntando-se como é possível que um Deus tão poderoso possa permitir que aconteçam tais desgraças na vida dos seres humanos sem intervir e nem ajudar.
Na realidade Epicuro com seu dilema não negava a existência de Deus, apenas queria apontar à misteriosa e existência do mal no mundo. Com seu dilema o filósofo levou muitas pessoas ao ateísmo.
Hoje com a atual conseqüência das percas novos Epicuros surgem: Um deles é o tele-evangelista estadounidense Pat Robertson (foto) que dá motivos para o desastre sofrido no Haiti. O apresentador declarou publicamente que a verdadeira causa do terremoto no Haiti é um castigo divino porque os habitantes fizeram um pacto com o diabo.
Tal afirmação é tão medíocre e ofensiva a Deus e pode ser considerada uma forma de eliminar a obrigação humana. Graças ao homem tornam-se freqüentes cataclismos naturais que acabam afetando especialmente aos paises pobres pela falta de estrutura para suportar tais problemas. Todos estes terremotos, inundações e catástrofes têm origem na irresponsabilidade do homem que destrói incansavelmente a natureza. Desta forma, culpar Deus destes acontecimentos é algo irrelevante.
Na realidade o enigma do filósofo grego nos leva a meditar em algo muito mais profundo. Deus nos deu o direito do livre arbítrio então podemos escolher o que vamos fazer hoje e amanha, um exemplo claro foi a Conferência de Compenhague realizada no fim de 2009 com o propósito de reduzir o aquecimento global e que não conseguimos chegar a lugar algum, em virtude da ganância. A ganância foi a opção de muitos e Deus não será obrigado a pagar pelas nossas escolhas.

Um comentário:

Gospel disse...

Obrigado pela visita, obrigado por deixar lá um comentário, e passando aqui para retribuí-lo, e dizer que gostei do blog e da proposta! Parabéns.